Arquivo da tag: Inspiração

Inspiração: Edie Sedgwick

edie3Talvez vocês já tenham ouvido falar de Edie Sedgwick como a musa de Andy Warhol e a menina que inspirou o termo it girl. Ou mesmo já tenham visto o filme Factory Girl, estrelado por Sienna Miller. Eu conheci Edie por causa da minha paixão pelo Bob Dylan. Edie também teve uma paixão por ele, mas não só pela música – eles namoraram por algum tempo nos anos 60 (e, aparentemente, ele não foi nada gentil ao colocar um ponto final na relação).

Ao pesquisar mais sobre a sua vida, gostei tanto de seu estilo que ela acabou se tornando uma referência, principalmente ao inspirar looks de festas. Claro que tudo nas suas devidas proporções, né?

Linda e ultra chique, ela pintou seu cabelo de prata para combinar com o de Andy Warhol e criou um corte que até hoje é copiado, vide a modelo Agnes Dean. Seu estilo é a essência dos anos 60, com muito preto, vestidinhos curtos, listras, meia calças opacas, plataformas, acessórios pesados e maquiagem marcadíssima, com delineador e cílios postiços.

edie

edie2

Edie teve uma vida rápida e marcante, foi o ícone do que a Vogue americana chamou de youthquaker – o terremoto jovem, aqueles que dominavam a cena da moda e da música nos anos 60. Filha de uma família rica, ela começou sua carreira como modelo e foi catapultada por Diana Vreeland, editora-chefe da Vogue que costumava dizer que ela era exemplar da juventude de sua época pelo seu comportamento e percepção de moda.

Mas foi ao conhecer Andy Warhol e a protagonizar seus curta-metragens que Edie se transformou na mocinha mais cool de Manhattan. Fez filmes, desfiles, editoriais e ainda ganhou a música Femme Fatale do Velvet Underground.

Ela ficou conhecida como factory girl, pois este era o nome do estúdio e ateliê de Andy Warhol e o cenário de inúmeras festas das quais Edie participou. Sua última performance foi em “Ciao! Manhattan”, de John Palmer e David Weisman.

Viciada em drogas, acabou falecendo devido a uma overdose de barbitúricos em 15 de novembro de 1971, aos 28 anos. Uma tristeza pensar em sua morte tão prematura e em como ela passou do ‘último grito da moda’ ao ostracismo social em meses (situação que contribuiu muito para sua depressão e, posterior, morte)… Acho que ela nem imaginava como seu estilo marcaria para sempre a moda e continuaria inspirando muitas meninas por aí.