Arquivo da categoria: Restaurantes

Os meus restaurantes preferidos em SP:

Não sou gourmet, nem entendo muito de comida… Mas adoro sair pra almoçar/jantar fora e comer bem (se eu consigo ir caminhando, melhor ainda), não sou simpática à ideia de gastar muito, não curto japonês (sushi e afins), sou louca por carne e hambúrguer e gosto de lugares que misturem boa comida, serviço adequado e ótimo astral.

Se alguém se identificar com alguma dessas características acima, então esta lista é uma mão na roda na hora de sair para comer em SP.

foto02

  1. Arpége: super simples, bom e com preço razoável. Aquele lugar para comer um ótimo PF com um twist. É bem pequeno, por isso, gosto de sentar na rua, pedir uma cervejinha e ficar observando a vizinhança.
  2. Don Mariano: espanhol simples e com várias opções que vão além da paella (que deve ser encomendada algumas horas antes) e tapas. A carta de cervejas é ótima!
  3. Joaquin’s: o melhor hamburguer de SP, na minha humilde opinião.
  4. L’Entrecot de Paris: já fiz post aqui. Amo por oferecer apenas um tipo de prato, amo a comida, o clima, enfim, em quatro anos de SP, ainda é o meu restaurante preferido.
  5. Ritz: clima nota 10! Gosto de sentar no bar, pedir um drink e os bolinhos de arroz de entrada.
  6. Serafina: dentre todas as pizzas que já provei aqui em SP, a do Serafina é a única que tem massa, molho, queijos e mistura de sabores iguais as que eu comi na Itália. Mas  vá à unidade do Itaim, a do Jardins tem atendimento péssimo.
  7. Chez Mis: Clima nota 1000, lugar lindo, comida maravilhosa! Ótimo para pedir várias entradinhas e ficar bebericando.

foto01

  1. Athenas: já fiz post aqui. O melhor custo-benefício de SP quando se quer comer bem/fartamente e estar em um local super animado.
  2. Juanita: acho que é o único da lista que perde pelo astral, mas que tem carnes tão deliciosas que dá pra morder e se sentir em Buenos Aires por alguns minutos. É um argentino com preço realmente bom (e tem Quilmes geladinha), o que compensa bastante a simplicidade do local. Adendo: argentino bem mais caro, mas com carne dos deuses é a Parilla San José.
  3. Zeffiro: restaurante do tipo no ‘jardim de casa’, que também é uma rotisseria, por isso produz suas próprias massas. É muito gostoso e tem preço super adequado.
  4. 210 Dinner: clima incomparável, a melhor música ambiente (seleção de rock incrível) e comida norte-americana.
  5. Bar da Dona Onça: já fiz post aqui. Um dos melhores strogonoffs da cidade! Mas tem um monte de outras coisas fantásticas e um clima super bohêmio…

foto03

  1. Cacilda: costumo almoçar por lá frequentemente (fica na rua do meu trabalho) e as carnes e massas são deliciosas. O preço é mais em contano menu executivo, mas o lugar é bem bonito e animado.
Anúncios

O melhor chocolate quente

Já que o inverno finalmente está dando as caras aqui por São Paulo (e o blog tá bem abandonadinho), vou dar uma dica rápida e deliciosa: o chocolate quente, na verdade, o Submarino (R$8,90) da La vie em douce.

20130708_183128

Trata-se de chocolate derretido no leite quente e tem um charme todo especial, já que a xícara de leite quentinho vem para a mesa acompanhada de um copinho de chocolate no palito que você vai, aos poucos, misturando ao leite. O legal é que dá pra controlar a quantidade de chocolate.

Eu provei o de chocolate amargo com caramelo e flor de sal, simplesmente divino, mas lá também tem de gianduia e chocolate ao leite com marshmellow. Ainda é possível levar os copinhos pra casa (R$16 com 2). Achei uma ótima ideia para receber as amigas para um chá (ou chocolate) da tarde.

Restaurante: MEATS

Dia desses fui conhecer o badalado MEATS (nova hamburgueria de um ex-sócio do Butcher’s Market), que fica na Rua dos Pinheiros.   Cheia de expectativa, cheguei lá e pedi o Hooligan, que mistura hamburguer, cheddar, bacon, picles e maionese.
Mas me decepcionei. Até gostei, mas não amei, sabe? E olha que pra mim não tem coisa melhor que pão, carne e queijo. Talvez, pão, carne e queijo e um molho especial, hahaha.

meats2

Assim, o lugar é lindo, tenho certeza que tudo foi pensando para fazer com que você se sinta em Nova York, super moderninho, com um quê meio industrial. O atendimento é ótimo e ainda tive sorte de pegar o local em um horário bastante tranquilo.

hamb

Mas não rolou. Sabe quando todos os ingredientes são maravilhosos, mas falta algo ? Um sabor mais marcante, talvez, porque no caso tudo era muito marcante, nada se sobressaía… Não tive a oportunidade de experimentar outro hamburguer, por que todo mundo pediu o mesmo. Mas provei ainda a porção de cebola à milanesa, esta sim super gostosa (mas foi só por que a porção de batata-frita mistura batata doce, achei nada a ver).

Talvez seja questão de dar uma segunda chance, mas prefiro o Butcher’s Market, que além de delicioso, fica  no meu bairro do coração. *fotos Folha imagem

Programa duplo: Alberta #3 e Bar da Dona Onça

Alberta #3

Recentemente, uma amiga veio passar uns poucos dias aqui em São Paulo e fiquei pensando onde levá-la. Como estaríamos pelas imediações do edifício Copan, imediatamente pensei no Alberta #3, que tem um bar de balcão no 2º andar onde você pode ficar bebendo, conversando e petiscando. O Alberta #3 é um bar de rock, então não vá esperando um ambiente tranquilo. O lugar é bem agitadinho, a música é muito boa e a decoração é linda, com fotos que ocupam uma parede inteira de bandas e músicos que eu nunca me canso de ouvir, como Ramones e Bob Dylan.  Enfim, para quem gosta de rock, é um lugar inspirador…

751d51ca512361fa

Quando abri o cardápio e vi que eles tinham chopp Colorado, fiquei muito animada (amo a Colorado Appia!). Infelizmente, minha alegria durou pouco, pois o chopp estava  em falta. Aliás, não sei se era um problema daquele dia, mas várias opções que queríamos pedir estavam em falta, o que prejudicou bastante o cardápio, que já é bastante restrito.

8298e9ea24e92f94*fotos de divulgação do bar

Acabamos pedindo cerveja Brooklyn (R$ 15) e deixamos para escolher algum petisco mais tarde. Só que, depois de colocarmos todo o papo possível em dia, nossa fome somada à alegria de uma cervejinha não era mais de um petisco, mas sim de uma janta… de preferência bem gostosa. Foi aí que lembramos do Bar da Dona Onça.

Bar da Dona Onça

O Bar da Dona Onça fica no próprio Copan e, para mim, tem mais cara de restaurante do que bar. É aquele lugar para você comer bem,  super agradável e acolhedor com toques fofos, como as patinhas de onça impressas no papel que cobre as mesas.

Mauro Holanda

Como estávamos esfomeadas e chegamos bem tarde por lá, partimos direto para o prato principal. O cardápio é dividido em couvert, saladas, massas artesanais e secas, arroz, peixes e carnes. Eu não tive dúvida e fui de estrogonofe de filet com chips de mandioquinha e arroz (R$48), um dos melhores que já comi. Os outros pratos escolhidos foram Soffioti de queijo de cabra ao sugo (R$49), uma espécie de massa enrolada no queijo com um molho vermelho maravilhoso, que eu invejei bastante, e Gnocchi ao molho de tomate italiano e pecorino trufado (R$39) também delicioso. Como tínhamos que trabalhar (e cedo!) no outro dia, continuamos na cerveja, mas o ideal era ter pedido um vinho pra acompanhar a carne e a “massarada”.

strogo

* fotos do site do bar e receitas.ig.com.br

Resultado: depois de um happy hour mais despretensioso, acabamos a noite muito bem alimentadas, felizes e com muita vontade de voltar.

Fica a dica de um programa combinado bem legal: cervejinha no balcão do Alberta #3 (espero que da próxima vez com a Colorado Appia), seguida de uma janta farta e animada no Bar da Dona Onça.

Restaurante: Café Creme

Este mês está bem parado, definitivamente tenho ficado muito mais em casa (economia violenta pegando) e vou apenas em lugares mais simples e/ou perto de casa. Não sei como é com vocês, mas comigo janeiro é sempre assim, um mês de contenção salarial para não dizer pobreza. Consequentemente, o blog também está parado, mas, vasculhando algumas fotos, lembrei de um almoço no Café Creme que eu não tinha postado.

O Café Creme (adoro o nome) é um restaurante/bar/café que fica na esquina da Avenida Paulista com a Joaquim Eugênio de Lima. Por isso, é daqueles lugares que todo mundo que visita SP já passou em frente pelo menos alguma vez. Está sempre cheio e no final da tarde vira um lugar bem disputado para fazer happy hour.

cafe_creme3

*foto: http://baresedrinks.blogspot.com.br

O local era rota para a minha aula de inglês e sempre ficava curiosa para experimentar a comida, até que um dia, antes de uma aula no sábado, resolvi conferir. A minha escolha foi o bife de chorizo com batata dourada, couve-flor a milanesa e rúcula. O cardápio é bastante completo, com vários pratos clássicos como bife à parmegiana, tutu à paulista e feijoada.

Foto-0176

Acho que já comentei aqui que estou sempre atrás de um bife de chorizo que se compare com o argentino e este quase chegou lá. Bife alto, bem temperado e macio por dentro, bastante suculento. Os acompanhamentos também estavam deliciosos e a mistura da rúcula com a batata e o bife criou várias camadas de sabor. O único detalhe que não fechou foi o molho de chimichurri que eles jogaram por cima de do bife e estava muito forte. Eu consegui tirar e jogar para um lado do prato, mas aconselho pedir sem, pois é completamente desnecessário.

Foto-0177

Como pontos positivos estão os preços, os pratos lá não costumam passar de 30 reais, e a animação do público, sempre cheio de paulistanos e turistas falantes e felizes. É o típico lugar que dá vontade de pedir um chopinho e ficar observando a Avenida Paulista e seu movimento constante, sem hora para levantar da mesa.

Restaurante: Wraps

Estou sempre de olho em um restaurante mais light e foi assim que o Wraps me chamou atenção. É daqueles restaurantes que ficam na praça de alimentação de shopping, neste caso no Pátio Higienópolis, mas têm sua própria “casinha com mesas”.

Gostei muito do ambiente, que é super tranquilo e bonitinho para uma praça de alimentação, apesar de achar a atendente um pouco desatenciosa, ainda mais que o lugar estava quase vazio. O restaurante se vende como a maior rede de comida saudável do Brasil e, além de wraps, eles oferecem outros pratos e até hambúrgueres.

wraps

* foto do site do Wraps.

Optei pelo combo (R$ 34) salada Ceasar de entrada (alface americana com molho de de iogurte desnatado, queijo parmesão e croutons integrais) + wrap Gaulês (cubos grelhados de filet com cogumelo shitake fresco e mussarela light) + Smothie Hawaii (morangos batidos com frozen iogurte light e sucos de abacaxi e laranja).

prato1

A salada chegou primeiro, rapidinho, junto com o smothie, e estava deliciosa. Facilmente, eu almoçaria apenas ela (em uma porção maior, claro). Só que, na hora de provar o smothie, decepção total. Não senti gosto de morango, nem de abacaxi ou laranja, apenas de uma calda que eles colocam em volta do copo. Não sei exatamente o que é essa calda, mas parece uma calda comum, daquelas que se coloca em sorvete, e a mistura de todos os ingredientes resulta em um gosto bizarro e nada natural. Perguntei ara a atendente e ela disse que é uma calda mesmo, mas não sabia explicar do quê…

prato2

Pós-susto com o smothie, estava um pouco receosa em provar o tal do wrap Gaulês, mas, felizmente, estava bastante saboroso. Os ingredientes são fresquinhos e a base da massa do wrap é realmente de farinha integral. A única ressalva é que a carne poderia ser mais temperada, faltou um gostinho ou até mesmo um contrate entre a carne e os cogumelos.

Impressão final: voltaria lá para provar outras saladas e até mesmo Wraps (o Mineirinho, que junta  cubos de filet, mussarela light, tomate pelado e folhas de rúcula, parece muito bom), mas smothie, nunca mais! Vou no suquinho natural, mesmo…

Padaria: Pão de Ló

Conheci a padaria Pão de Ló quando estava procurando um lugar para tomar um café-da-manhã mais especial em São Paulo. Foi uma “descoberta” inesperada, pois queríamos mesmo ir o hotel Maksoud, mas quando chegamos lá o café já não estava mais sendo servido.

E não é que avistamos uma padaria bem em frente ao hotel? A fome era tanta que estávamos dispostos a comer qualquer pãozinho com café. Entramos e tivemos melhor surpresa, tanto porque lá tem um ótimo buffet, quando pelo preço bem mais em conta (R$55 no Maksoud; R$ 27 na Pão de Ló).  O bônus fica pelo ambiente, que é bem bonitinho,

cafe_pao3

* foto pt.foursquare.com

Fiquei fã e sempre levo amigos e família visitantes para um café mais chiquezinho, todo mundo ama. Só não espere um atendimento perfeito, muitas vezes você terá que chamar os garçons mais de uma vez para ser atendido; fora isso, tudo corre naturalmente…

cafe_pao cafe_pao2

* fotos pt.foursquare.com

A Pão de Ló serve  buffet de café-da-manhã todos os sábados e domingos, das 7h até às 15h, sempre com pãezinhos, pão de queijo, frutas, geleias, sucos, salgadinhos, bolos, doces e mini quiches, tudo muito bem feito e delicioso. O mais legal é que você pede omelete, ovos mexidos, waffle ou panqueca diretamente para a garçonete, o que garante que venham à mesa sempre quentinhos e do jeito que você mais gosta.

Foto-0012

Outra coisa que é muito bem feita, além dos doces (o mil-folhas de creme é divino), são os aperitivos e petiscos, como o picadinho de filet mignon com gorgonzola, que vem acompanhado de uma cesta de pães. Peça uma porção de batatas-fritas e, se gosta de cerveja uruguaia, uma Norteña bem gelada. Pronto, você tem um almoço delicioso, super em conta e com gosto de “fim-de-semana”.

Foto-0009